A Doença

ZIKA Vírus

A Febre Zika é uma doença viral transmitida pela fêmea do mosquito Aedes aegypti causada pelo vírus Zika (ZIKV). Uma em cada quatro pessoas infectadas pode não desenvolver sintomas, mas, naquelas que são afetados, a doença é geralmente leve, com sintomas que podem durar de dois e sete dias. Sua manifestação clínica é muitas vezes semelhante à Dengue, um Flavivirus, tal como o vírus Zika. A doença grave que requer hospitalização imediata é incomum.

Em resumo, a doença é benigna, não sendo descritas ainda formas crônicas da doença.

Em maio de 2015, a Organização Panamericana de Saúde (OPAS) emitiu um alerta sobre a primeira infecção pelo vírus Zika confirmada no Brasil. O surto no Brasil levou a relatos de síndrome de Guillain-Barré e casos de mulheres dando à luz bebês com deformidades no nascimento, como a microcefalia.

O CDC já emitiu alertas para as pessoas que viajam para regiões e alguns países onde a transmissão do vírus Zika está em curso.

A situação hoje é muito diferente. No ano passado [2015], o vírus foi detectado nas Américas, onde ele está agora se disseminando explosivamente. Até hoje, há casos relatados em 23 países e territórios da região. O nível de alarme é extremamente elevado. Dr Margaret Chan - Diretora Geral da OMS






Histórico

ZIKA Vírus

O Zika Vírus é um vírus transmitido pelo mosquito Aedes. O vírus foi identificado pela primeira vez em Uganda em 1947 em macacos rhesus através de uma rede de monitoramento da febre amarela silvestre. Ele foi isolado pela primeira vez em primatas não humanos em Uganda, na floresta Zika em 1947, por esse motivo esta denominação.

Posteriormente, foi identificada em humanos em 1952, na Uganda e República Unida da Tanzânia. Entre 1951 a 2013, evidências sorológicas em humanos foram notificadas em países da África (Uganda, Tanzânia, Egito, República da África Central, Serra Leoa e Gabão), Ásia (Índia, Malásia, Filipinas, Tailândia, Vietnã e Indonésia) e Oceania (Micronésia e Polinésia Francesa). Nas Américas, o Zika Vírus somente foi identificado no início de 2014 na Ilha de Páscoa, território do Chile no oceano Pacífico, 3.500 km do continente.

O Zika Vírus é considerado endêmico no Leste e Oeste do continente Africano. Evidências sorológicas em humanos sugerem que a partir do ano de 1966 o vírus tenha se disseminado para o continente asiático.

Atualmente há registro de circulação na África (Nigéria, Tanzânia, Egito, África Central, Serra Leoa, Gabão, Senegal, Costa do Marfim, Camarões, Etiópia, Quénia, Somália e Burkina Faso) e Ásia (Malásia, Índia, Paquistão, Filipinas, Tailândia, Vietnã, Camboja, Índia, Indonésia) e Oceania (Micronésia, Polinésia Francesa, Nova Caledôni a/França e Ilhas Cook).

Casos importados de Zika virus foram descritos no Canadá, Alemanha, Itália, Japão, Estados Unidos e Austrália.

Mapa do ZIKA Vírus

ZIKA Vírus

ZIKA Vírus - Mapa Atual - EUROIMMUN Brasil - Diagnóstico Medico Laboratorial
ZIKA Vírus - Mapa Atual - EUROIMMUN Brasil - Diagnóstico Medico Laboratorial


Diagnóstico

ZIKA Vírus

Atualmente, o vírus Zika é diagnosticado através da técnica de PCR e do isolamento do vírus em amostras de sangue. O diagnóstico por sorologia estava até então indisponível. Além disso, o vírus Zika pode ter uma reação cruzada com outros flavivírus, como o da dengue, febre do Nilo Ocidental e febre amarela.

O médico deve ser consultado para avaliação clínica dos sintomas acima descritos. O profissional médico também é capaz de avaliar a área de risco ao qual o paciente se expôs. Ele poderá solicitar exames de sangue para determinação dos vírus Dengue, Chikungunya, outros arbovírus e, agora, Zika.

A EUROIMMUN acaba de lançar dois kits para detecção sorológica de Zika. Eles já possuem aprovação e liberação da ANVISA e poderão ser adquiridos por laboratórios de diagnóstico.

PCR versus SOROLOGIA

ZIKA Vírus - EUROIMMUN Brasil - Diagnóstico Medico Laboratorial

A técnica de PCR (reação em cadeia da polimerase) permite identificar, de forma exata, a presença do DNA do agente causador da doença em amostras de sangue do paciente. Ela funciona fazendo com que um fragmento específico da molécula de DNA seja amplificado milhares de vezes em apenas algumas horas.

Entretanto a realização da técnica é sensível e complexa, sendo totalmente dependente de temperatura e tempo adequados. Ela requer conhecimento e habilidade do operador para que se obtenha um produto final com sucesso.

Esta reação permite a amplificação de qualquer seqüência de DNA coletada de amostras de materiais biológicos como sangue, urina, outros fluidos corporais, cabelo e fragmentos teciduais. Amostras de microorganismos, células vegetais ou animais mesmo que com milhares de anos, também podem ser detectadas pela PCR.

Os testes sorológicos, ou imunoensaios, por sua vez detectam de forma especifica antígenos ou anticorpos presentes na amostra do paciente. Eles agem capturando o antígeno ou anticorpo através de um substrato fixo (anticorpo ou antígeno correspondente) e marcando-os para reconhecimento, seja por fluorescência, absorbância ou outros métodos.

As técnicas, em geral, são simples e requerem conhecimento prévio básico de imunoensaios por parte do operador. Entretanto, igualmente ao PCR não devem ser realizadas por pessoas leigas.

Anticorpos IgM são sintetizados logo no inicio da resposta imunológica e sofrem um decréscimo com o tempo, até desaparecerem. Sendo o IgM, o principal marcador da infecção aguda. Os anticorpos IgG, por sua vez, levam mais tempo para iniciar sua produção, mas permanecem no organismo, geralmente de forma vitalícia, sendo um ótimo marcador de infecção passada. A análise dos titulos de IgG também pode determinar a ocorrência de uma reinfecção.

Por esse motivo, a detecção dos anticorpos que permanecem no organismo mesmo depois do desaparecimento do vírus, possibilita a identificação de infecções agudas e passadas, além de reinfecções.

ZIKA Vírus - EUROIMMUN Brasil - Diagnóstico Medico Laboratorial

Transmissão

ZIKA Vírus

O principal modo de transmissão descrito do vírus é através de vetores, ou seja, o vírus Zika é transmitido principalmente através da picada de mosquitos infectados do gênero Aedes, os mesmos mosquitos que transmitem outros arbovírus, como a dengue, chikungunya e febre amarela. Estes mosquitos são agressivos e picam preferencialmente no período da manhã. Os mosquitos se infectam ao picar uma pessoa já infectada com o vírus. E os mosquitos infectados podem então espalhar o vírus para outras pessoas através de picadas.

No entanto, está descrito na literatura científica, a ocorrência de transmissão ocupacional em laboratório de pesquisa, perinatal e sexual, além da possibilidade de transmissão transfusional. Além disso, recentemente, o vírus foi também detectado no leite materno, líquido amniótico, urina e sêmen.

O vírus tem a característica de deixar de circular na corrente sanguínea muito rapidamente, mas foi em encontrado em raros casos por períodos maiores. Por esse motivo, a sua detecção é dificultada, levando também à grande dificuldade nas pesquisas do vírus e como ele afeta o organismo.

Surtos da doença por Zika foram notificados, pela primeira vez, no Pacífico, em 2007 e 2013 (respectivamente em Yap e Polinésia Francesa) e, em 2015, nas Américas (Brasil e Colômbia) e em África (Cabo Verde). Por outro lado, mais de 13 países nas Américas notificaram infecções esporádicas pelo vírus Zika, o que indica uma rápida expansão geográfica do vírus.

A pessoa infectada deve estar fortemente atenta ao ambiente para que não sofra picadas de mosquitos. Durante a primeira semana de infecção o vírus ainda pode ser encontrado na circulação sanguínea, podendo ser transmitida para um mosquito vetor.






ZIKA Vírus - EUROIMMUN Brasil - Diagnóstico Medico Laboratorial

Os sintomas

ZIKA Vírus

Cerca de 1 em cada 5 pessoas infectadas com o vírus Zika fica doente, ou seja, desenvolvem Zika. Os sintomas são semelhantes a outras infecções por arbovírus, incluindo o dengue.

Segundo a literatura, mais de 80% das pessoas infectadas não desenvolvem manifestações clínicas, porém quando presentes são comumente caracterizadas por:
ZIKA Vírus - EUROIMMUN Brasil

As erupções cutâneas envolvem mudanças na cor ou textura da pele, podendo ser causado pelo ZIKA Vírus.

Exantema maculopapular pruriginoso

Erupção cutânea